Saltar a navegação

Antes da
Candidatura

Carta de Mobilidade de EFP Erasmus+

O convite para a Acreditação Erasmus + Ensino e Formação profissional foi publicado pela Comissão Europeia a 03 de novembro de 2016. Com este convite, a Comissão Europeia pretende reforçar as abordagens estratégicas e a qualidade na mobilidade do Ensino e Formação profissional.
O prazo para submissão das candidaturas termina a 17 de Maio de 2017 (11h na hora portuguesa).
O formulário de candidatura on-line está disponível.

Carta Erasmus para o Ensino Superior (ECHE)

Candidaturas para 2018

A AN ERASMUS+ Educação e Formação informa que se encontra aberto o período de candidaturas à atribuição da Carta Erasmus para o Ensino Superior 2018 (ECHE). As candidaturas devem ser apresentadas em conformidade com as orientações da Agência Executiva de Educação, Audiovisual e Cultura, sendo recomendável uma leitura prévia do documento Guidelines for Applicants. O deadline para a apresentação de candidatura é 31 de março de 2017, às 12h00 (meio-dia), hora de Bruxelas.

  • A Carta Erasmus para o Ensino Superior (CEES/ECHE) garante a qualidade das atividades de cooperação europeia e internacional que as instituições de Ensino Superior poderão realizar no âmbito do Programa Erasmus+.
  • A CEES não é exigida a IES doutros países, sendo o quadro de qualidade estabelecido por meio de acordos interinstitucionais entre as IES participantes.
  • A aplicação da Carta será monitorizada, podendo a violação de qualquer dos seus princípios e compromissos levar à sua anulação pela Comissão Europeia.
  • A atribuição da Carta Erasmus para o Ensino Superior é um requisito para todas as IES situadas num dos países do Programa (Erasmus+ Programe Guide, p. 24   (EN)) que pretendem candidatar-se e participar em atividades de mobilidade individual para fins de aprendizagem e/ou de cooperação para a inovação e intercâmbio de boas práticas no âmbito do Programa.
  • A Carta é atribuída para toda a duração do Programa Erasmus+.

Pesquisa de Parceiros

Portuguese Host Schools

Initial Teacher Training internships available in Portuguese Host Schools until 2018. If you are interested in a traineeship, you may directly email the contact teacher indicated in the table. If you want to receive the full profile of one or more traineeships, please email vera.caeiro@erasmusmais.pt before you contact the teacher.

OLS (Online Linguistic Support)

A Online Linguistic Support (OLS) é um serviço de apoio linguístico disponibilizado pela CE e destina-se a apoiar a aprendizagem de línguas dos participantes nas atividades de mobilidade Erasmus+ no âmbito da Ação-Chave 1.

A OLS oferece aos participantes em atividades de mobilidade Erasmus+ de longa duração a oportunidade de avaliar as suas competências na língua que utilizarão nas suas mobilidades para estudar, trabalhar ou de voluntariado no estrangeiro. Adicionalmente, os participantes selecionados podem ainda beneficiar de um curso de língua online para melhorar as suas competências linguísticas.

A partir do Convite 2017, estarão disponíveis na OLS 18 línguas: Alemão, Búlgaro, Checo, Croata, Dinamarquês, Eslovaco, Espanhol, Finlandês, Francês, Grego, Holandês, Húngaro, Inglês, Italiano, Polaco, Português, Romeno e Sueco.

A Online Linguistic Support (OLS) é composta por:
Licenças para Avaliação - licenças para realização de testes de avaliação da competência linguística do participante. São obrigatoriamente realizados dois testes, um antes ou no início da mobilidade e outro no fim da mobilidade.
Licenças para Cursos – licenças para realização de curso de língua online no decorrer da mobilidade.

O teste inicial de avaliação da competência linguística, realizado antes do início da mobilidade, e o teste final de avaliação, realizado no fim da mobilidade, são obrigatórios para todos os participantes que realizem atividades de mobilidade onde a principal língua de estudo, trabalho ou voluntariado seja uma das 18 línguas disponíveis na plataforma OLS.

A instituição do participante atribui a licença para o curso de língua tendo por base o nível de competência linguística demonstrada pelo participante no teste inicial de avaliação. Caso a competência demonstrada seja superior à classificação B1 (QECR) o participante pode optar por fazer o curso de língua na língua do país de acolhimento, caso a mesma esteja disponível.

A participação no curso de língua é opcional. A utilização da OLS não tem quaisquer custos para os participantes ou para as instituições.

OLS para Refugiados:
No contexto da atual crise de refugiados, e com o objetivo de apoiar os esforços dos Estados-Membro na integração de refugiados nos sistemas de educação e formação Europeus e assegurar o desenvolvimento das suas competências, a CE decidiu alargar a implementação da OLS a cerca de 100.000 refugiados (definição abaixo) por um período de 3 anos a partir de julho de 2016.

A participação nesta iniciativa é voluntária e está aberta a todas as instituições beneficiárias do Programa Erasmus+ Ação-Chave 1 nos setores do Ensino Superior, Formação Profissional e Juventude com projetos aprovados no âmbito do Convite de 2017.

As instituições que decidam participar nesta iniciativa receberão um número adicional de licenças OLS para serem atribuídas especificamente a refugiados que estejam interessados em aprender uma das 18 línguas que estão disponíveis na plataforma OLS ou outras que, entretanto, venham a ficar disponíveis.

Salienta-se que não é necessário que os refugiados participem nas atividades do projeto Erasmus+ para terem acesso à OLS.

As instituições beneficiárias serão responsáveis pela atribuição de licenças OLS aos refugiados e pelo reporte da sua utilização no âmbito do projeto Erasmus+.

REFUGEE
In the EU context, either a third-country national who, owing to a well-founded fear of persecution for reasons of race, religion, nationality, political opinion or membership of a particular social group, is outside the country of nationality and is unable or, owing to such fear, is unwilling to avail themselves of the protection of that country, or a stateless person, who, being outside of the country of former habitual residence for the same reasons as mentioned above, is unable or, owing to such fear, unwilling to return to it, and to whom Art. 12 (Exclusion) of Directive 2011/95/EU does not apply.

Informação adicional e documentação disponível
Voltar ao topo da página