Educação de Adultos

Educação de Adultos são todas as formas de educação que não tenham caráter profissional/vocacional, sejam elas de natureza:

Formal – decorre num contexto organizado e estruturado em estabelecimento de ensino/formação ou no local de trabalho. É intencional por parte do aprendente e, em geral, culmina na validação e certificação.

Não formal – Integra atividades planificadas que não são explicitamente designadas como atividades de aprendizagem, a educação não-formal é intencional por parte do aprendente e tem uma duração variável.

Informal – incluindo quem se dedica à ação social, à economia social e solidária, à inclusão e à educação, as atividades resultantes da vida quotidiana relacionadas como o trabalho, a família ou o lazer, não se trata de uma aprendizagem organizada ou estruturada. A educação informal possui, normalmente, um carácter não intencional por parte do aprendente.

SOBRE O SETOR

Promover a melhoria das competências básicas em literacia, numeracia, literacia digital, competências linguísticas e empreendedorismo.

Facilitar a transição entre educação formal, educação não-formal, formação profissional e emprego.

Possibilitar o acesso a serviços de aprendizagem de adultos, a validação da aprendizagem não-formal e informal e a orientação profissional e educacional.

Melhorar e alargar a oferta de oportunidades de educação. Fomentar práticas inovadoras que promovam o aumento da participação de adultos em atividades de formação.

Desenvolver as competências dos educadores de adultos para trabalhar com grupos de formandos diversificados, e tirar partido de novas tecnologias.

Podem candidatar-se organizações de educação formal, informal e não formal de adultos, autoridades públicas locais e regionais, organismos de coordenação e outras organizações ativas no setor da educação de adultos, assim como centros de reconhecimento e validação, câmaras de comércio, organizações profissionais, centros de orientação, organizações desportivas e culturais.

Conheça aqui a lista completa.

Aprendentes Adultos pouco qualificados (Low-Skilled) – No âmbito da Educação de Adultos, os participantes elegíveis para mobilidades Erasmus+ são aprendentes adultos com menos oportunidades, em particular aprendentes adultos* com baixa qualificação. Os participantes devem estar matriculados num programa de Educação de Adultos na organização de envio.

Pessoal/Staff Professores, formadores, educadores, pessoal académico, técnicos de orientação, consultores, gestores educativos, pessoal especializado em apoio às necessidades especiais, psicólogos, técnicos de mobilidade internacional, assistentes, voluntários, etc.

A Educação de Adultos através de organizações de educação formal, informal e não formal, participa em projetos europeus com atividades de Mobilidade e de Parcerias de Cooperação.

A organização candidata é um interveniente essencial num projeto no âmbito da ação-chave 1. O candidato elabora e envia a candidatura, assina a convenção de subvenção, executa as atividades de mobilidade e apresenta relatórios à sua agência nacional. O processo de candidatura para os projetos de Curto Prazo e a Acreditação Erasmus+ incide sobre as necessidades e os planos da organização candidata.

As Parcerias para a Cooperação subdividem-se nas Parcerias de Pequena Dimensão e Parcerias de Cooperação estão ancoradas às 4 prioridades horizontais referidas no guia do programa e aos quadros políticos de cada setor Erasmus+, tanto a nível europeu como a nível nacional, procurando ao mesmo tempo produzir incentivos para uma cooperação transetorial e horizontal nas áreas temáticas.

CRIAR UM PROJETO DE MOBILIDADE

Projetos de mobilidade para fins de aprendizagem, para pessoal ligado à Educação de Adultos, que podem englobar os seguintes tipos de atividades.

  • Períodos de acompanhamento/observação no posto de trabalho (job shadowing) em qualquer organização relevante ativa na área da educação de adultos (2 a 60 dias)
  • Missões de ensino e formação numa organização parceira (2 a 365 dias)
  • Cursos e formação – Participação em cursos estruturados ou eventos de formação (2 a 30 dias, no máximo 10 dias de propinas por participante)

As atividades devem realizar-se no estrangeiro, em Países do Programa.

Para procurar mais informação e apoio à concretização do seu projeto visite a  Plataforma Epale.

Os projetos KA122 foram concebidos para organizações com pouca ou nenhuma experiência internacional. A estrutura simplificada destes projetos abrem as portas às organizações para a realização de um projeto e ter uma primeira experiencia no Programa Erasmus+.

Estes projetos são uma forma direta e simples de beneficiar do Erasmus+ conheça aqui as suas caracteristicas:

  • duração do projeto: 6 a 18 meses
  • nº máximo de participantes: 30
  • máximo de 3 projetos em 5 anos
  • prioridade aos newcomers* à ação
  • não disponível a organizações acreditadas
  • flexibilidade orçamental

*Ver Guia do Programa Erasmus+ Parte D – Glossário de Termos

A Acreditação Erasmus é o instrumento que confirma que as organizações nos vários setores, neste caso, na educação de adultos detêm uma estratégia para a implementação de atividades de mobilidade com elevados padrões de qualidade, assente num plano institucional de desenvolvimento europeu, o que permite que, anualmente, e no período de vigência da acreditação, solicitem apenas as subvenções necessárias às mobilidades planeadas a curto prazo.

Criar uma comunidade de organizações Erasmus+ que regularmente faz mobilidade de aprendentes e pessoal educativo:

  • baseada num plano Erasmus+ alicerçado no projeto educativo/estatutos/ideário da organização
  • uma acreditação por organização (em cada setor educativo)
  • não requer experiência prévia no programa Erasmus+
  • válido para a duração do programa (com atualização regular do plano Erasmus+)
  • financiamento simplificado: candidatura orçamental numa 2.ª fase

Finalidade, alargar o alcance do programa Erasmus+ e atribuir um papel estratégico a organizações líderes no setor:

  • só existe no enquadramento da acreditação
  • 1 entidade = 1 consórcio por setor educativo
  • flexibilidade na dimensão do consórcio
  • possibilidade de mudar os elementos do consórcio
  • acreditação como “coordenador de consórcio” não é transferível para outro parceiro
  • plano mais estratégico
  • enfoque nos newcomers

Ser parceiro de consórcio de mobilidade já existente.

Entrada mais simples no programa para conhecer as suas oportunidades:

  • ter 1 OID (Organisation ID – número de identificação de organização)
  • ser identificado pelo coordenador apenas posteriormente (fase de pedido de financiamento)
  • elegibilidade da entidade semelhante à dos coordenadores
  • pode ter um projeto não acreditado
  • uma organização pode ser membro de vários consórcios num ou mais setores

A comissão disponibiliza um conjunto de plataformas que têm como um dos objetivos ajudar os potenciais beneficiários a encontrar parceiros. Para ter acesso a estas plataformas basta aceder aqui.

No âmbito da educação de adultos tem à disposição a Plataforma Epale, a plataforma eletrónica para a Educação de Adultos na Europa (EPALE) permite a ligação com outros utilizadores em toda a Europa; participar nas discussões e no intercâmbio de boas práticas; e aceder a um calendário de eventos europeus e nacionais, funcionalidades de pesquisa de parceiros e uma biblioteca de recursos.

A School Education Gateway  é outra plataforma útil onde para além de recursos gratuitos, permite a pesquisa de conteúdos por tópicos e todos os meses desenvolve uma temática diferente.​ Inclui uma base de dados de potenciais parceiros, um catálogo de cursos e oportunidades de mobilidade para missões de ensino e job shadowing.

CRIAR UM PROJETO DE PARCERIAS

As Parcerias Estratégicas destinam-se a desenvolver iniciativas orientadas para um ou mais domínios de educação e formação. Envolvem, no mínimo, três organizações de três países do Programa. Permitem que as organizações participantes adquiram experiência de cooperação internacional e fortaleçam as suas capacidades e/ou que produzam resultados tangíveis inovadores e de elevada qualidade, com impacto a nível individual e institucional.

Este tipo de projeto tem como objetivo, alargar o acesso ao programa a intervenientes de pequena dimensão e a pessoas a quem é difícil chegar aos setores da Educação de Adultos (ADU), Ensino Escolar (SCH) e Ensino e Formação Profissional (VET).

Os montantes de subvenção são menores, com uma duração mais curta e com exigências administrativas mais simples e visa alcançar:

  • As organizações locais comunitárias,
  • As organizações menos experientes e novos participantes no programa, reduzindo os obstáculos à entrada no programa para as organizações com menor capacidade organizacional.

Têm como finalidade:

  • Atrair e alargar o acesso a novos participantes no programa, a organizações menos experientes e a intervenientes de pequena dimensão;
  • Constituir um primeiro passo para as organizações que pretendem cooperar a nível europeu;
  • Apoiar a inclusão de grupos-alvo com menos oportunidades;
  • Apoiar a cidadania europeia ativa e trazer a dimensão europeia para o nível local.
  • Duração do projeto: 6 e 24 meses.
  • Mínimo, 2 organizações de 2 Países do Programa.
  • Não existe um número máximo de organizações participantes

O principal objetivo das parcerias de cooperação é:

  • Aumentar a qualidade e a relevância das atividades da organização e das instituições envolvidas;
  • Desenvolver e reforçar as suas redes de parceiros,
  • Aumentar a sua capacidade para operarem em conjunto a nível transnacional, fomentando a internacionalização das suas atividades;
  • Proceder ao intercâmbio ou desenvolvimento de novas práticas e novos métodos, bem como partilhar e confrontar ideias;
  • Apoiar o desenvolvimento, a transferência e/ou a aplicação de práticas inovadoras, bem como a execução de iniciativas conjuntas de promoção da cooperação, da aprendizagem interpares e dos intercâmbios de experiências a nível europeu.

Têm como finalidade:

  • Aumentar a qualidade do trabalho, das atividades e das práticas das organizações e das instituições envolvidas, abrindo-se a novos intervenientes, não incluídos naturalmente num dado setor;
  • Reforça as capacidades das organizações para trabalharem a nível transnacional e entre setores;
  • Dar resposta a necessidades e prioridades comuns nos domínios da educação, da formação, da juventude e do desporto;
  • Possibilitar a transformação e a mudança (a nível individual, organizacional ou setorial), conducente a melhorias e novas abordagens, proporcionalmente ao contexto de cada organização;
  • Duração do projeto entre 12 e 36 meses;
  • Mínimo, 3 organizações de 3 Países do Programa diferentes;
  • Não existe um número máximo de organizações participantes numa parceria.

SABER MAIS

© 2022 – Agência Nacional Erasmus+ Educação e Formação