common.jump_nav common.jump_nav.

Notícias

27.03.2018

Estudar mais é preciso

Assumindo a inovação como o grande motor do desenvolvimento do país, o Roteiro Inovação aponta para a necessidade de aumentar as competências digitais da sociedade portuguesa, assim como para a necessidade de intensificar o investimento na inovação e desenvolvimento e na qualificação dos recursos humanos. Neste domínio, o Roteiro tem uma meta ambiciosa para a área do ensino superior: em 2030, ter 60% dos jovens de 20 anos a frequentar este nível de ensino.

Portugal tem feito, nos últimos 40 anos, um percurso notável de convergência com a Europa na área da educação e ensino. O esforço para aumentar os níveis de qualificação dos recursos humano tem sido reconhecido a nível nacional e internacional, mas existe ainda muito caminho pela frente. Ainda estamos longe da meta para 2030, com apenas 4 em cada 10 jovens com 20 anos a frequentar o ensino superior e taxas de insucesso e abandono consideráveis.

Conscientes de que a formação superior aumenta consideravelmente as possibilidades em matéria de emprego, condição socioeconómica e realização pessoal, como demonstram os indicadores e percursos bem-sucedidos dos países mais desenvolvidos, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES) lançou um conjunto de iniciativas que visam promover o prosseguimento dos estudos, combater o abandono escolar e aumentar o número de alunos no ensino superior.

Estudar mais é preciso é o nome do programa lançado pelo MCTES e Direção Geral do Ensino Superior (DGES) com o objetivo de aumentar a formação e qualificação da população portuguesa e sensibilizá-la para as vantagens de um curso superior. Os dados são expressivos e elucidativos:

• Em média, entre 80% a 91% dos adultos que concluíram os vários níveis de formação superior têm emprego (contra 74% a 79% daqueles que concluem o secundário, e menos de 60% dos adultos que não concluíram o secundário);

• Em todos os países da OCDE, a diferença salarial entre adultos com formação superior e adultos com formação secundária é geralmente mais evidente do que a diferença salarial entre estes últimos e os adultos sem formação secundária;

• O mercado de trabalho continua a considerar um diploma superior como o principal indicador das competências de um trabalhador;

• Os benefícios da aposta na formação superior são ainda visíveis em competências pessoais como a literacia, e desempenhos sociais como a confiança interpessoal ou o compromisso cívico.

Dirigido aos estudantes, famílias, professores, escolas e empresas este programa procura transmitir as vantagens e benefícios da formação superior e disponibilizar informação simplificada sobre o ensino superior (funcionamento, cursos, instituições, acesso e apoios), garantindo as condições adequadas para que as escolhas possam ser feitas de forma informada e consciente. A divulgação e promoção deste programa é realizada através de um desdobrável Estudar mais é preciso – 10 razões, do portal Study & Research in Portugal, plataforma de valorização e internacionalização do ensino superior, da ciência e da tecnologia, com a apresentação do sistema de ciência, tecnologia e ensino superior, e do número de telefone 213 126 100, colocado à disposição dos interessados para prestar informação sobre o acesso ao ensino superior.

O Comboio do Conhecimento, lançado no dia 7 de março, é outra das iniciativas inseridas no programa Estudar mais é preciso que, sob o lema “Não fiques apeado - dá crédito aos teus estudos e vem conhecer Portugal”, visa estimular a aquisição de competências e de formação superior, aliada ao sucesso académico, promovendo experiências de conhecimento do território, através da oferta de 7 dias de viagens de comboio para os estudantes que transitem do 1º para o 2º ano do ensino superior com aproveitamento escolar.

Não desistas de ti é a campanha desenvolvida pelo MCTES, Ministério da Educação e a Associação Portuguesa para o Desenvolvimento das Comunicações para destacar a importância da formação e do conhecimento ao longo da vida. Esta campanha, lançada a 17 de março nas televisões nacionais com o vídeo “Não desistas de ti” , tem por objetivo sensibilizar os jovens para as consequências de deixarem de estudar, e é complementada com manifesto, com o mesmo nome, dirigido aos estudantes que se encontram a frequentar o ensino secundário, nos cursos científico-humanísticos e profissionais e inclui ainda o portal continuaaestudar.pt, que acolherá informação relevante sobre as condições de acesso e frequência do ensino superior.

common.back_top